Assimagra

Recursos Minerais de Portugal

AUMENTO DAS EXPORTAÇÕES DE PEDRA NATURAL PORTUGUESA MANTÉM TENDÊNCIA POSITIVA

Os dados provisórios de março de 2023 apontam para um crescimento das exportações. O setor exportou quase 130 milhões de euros, com um crescimento de volume de negócio internacional de 6,69% quando comparado com o homólogo de 2021. A valorização do produto também se destaca pela positiva, voltando a apresentar um crescimento, face a 2021, de 15,62%, com registos de exportação para 93 países.

Face ao mês de março de 2022, aponta-se o seguinte:

  • O mercado mundial teve um aumento, em volume de negócio, de 6,69%, representando um aumento de 8.1 milhões de euros, principalmente devido ao aumento do mercado fora da União Europeia;
  • Foram transacionadas quase menos 42 mil toneladas de produto, -7,72%;
  • O preço médio da tonelada de produto exportado continua com uma variação positiva, verificando-se em março com mais 15,62% que o seu homólogo de 2022. São os mercados externos à União Europeia que mais sustentam este valor;
  • O comércio com países da EFTA registou uma diminuição de 200 mil euros, representando uma queda de 8,09% em relação ao homólogo do ano anterior;
  • O comércio com os países da OPEP aumentou de 5,2 para 9,2 milhões de euros, mostrando um aumento significativo de quase 4 milhões de euros, ou seja, mais 75,31% em relação seu homólogo de 2022;
  • O aumento de volume de negócio com os países da OPEP, é acompanhado por uma quebra expressiva de -8,54% do preço/médio da tonelada de produto;
  • O comércio com os países Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa, registou um aumento de quase 300 mil euros, ou seja, mais 30,46% em comparação o mesmo período do ano anterior. O valor agregado por tonelada de produto aumentou em 15,21%.

Enumeram-se alguns pontos, relativos a esta análise, em comparativo com o mês homólogo de 2022:

  • A França continua a ser o principal mercado; ainda que com uma quebra de -6,21%, na valorização do produto. Este destino apresenta um crescimento de 9,10% em volume de negócio (quase mais 2 milhões de euros), fortemente sustentado no subsetor extrativo;
  • A China mantém a segunda posição, contudo, apresenta quebras de volume de negócio superiores a 22% acompanhada com uma desvalorização de produto de quase 2%. Apresenta também uma quebra nas quantidades de produto exportado superiores a 30 mil toneladas, cerca de 72% do total da quebra de quantidade de produto exportado mundialmente por Portugal, anteriormente apontada;
  • A Espanha, mantendo o 3º lugar, apresenta uma ligeira subida (1,81%), mas acompanhada por uma valorização de produto na casa do 6%;
  • O Reino Unido que subiu para a quinta posição, com um aumento de 23,96% nas transações comerciais e uma variação igualmente positiva de 32,60% nas quantidades de produto exportado. Aponta-se, contudo, uma queda de 6,52% no preço médio por tonelada;
  • Os Estados Unidos mantém a quarta posição, mas com um aumento bastante expressivo de em volume de negócio (40,73%), com mais 2,5 milhões de euros transacionados neste março, quando comparado com o seu homólogo de 2022. Este desempenho é ainda acompanhado com uma valorização de produto com uma subida superior a 40%;
  • A Alemanha, agora na sexta posição, continua a apresentar uma queda em relação ao homólogo de 2022, ainda que com uma valorização de produto na casa dos 26%;
  • Por último, destacamos a Bélgica, com um crescimento de volume de negócio de 47,20%, mais 19 milhões de euros, crescimento este acompanhado por uma quebra bastante expressiva do preço médio da tonelada de produto, superior a 24%.

 


O mês de fevereiro de 2023, regista o valor mais alto da série em análise e é também o primeiro mês que regista mais de 50 milhões de euros de volume de negócios de exportação. 


Para mais detalhes, descarregue o Boletim Mensal da Estatística do Comércio internacional.

FaLang translation system by Faboba